quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Nas Nuvens

Nas nuvens, encontro o que me falta
Na falta do que fazer, procuro o que me mata
Se viver, me pede vendas
Vendo, aos que me querem, idéia que me renda

É por não ter mais resistência
que deixo o corpo ressequir
ressoando o que me grita, o que me faz ser daqui.

Aquém do que é real
Nefelibata, talvez
desfaço-me de ideal
espero a vez

2 comentários:

Paula Laranjeira disse...

Perambulando pelo blog, vou me deliciando com tua escrita. Eis q de repente, não mais q de repente li "A dor da gente é dor de menino acanhado. Menino-bezerro pisado no curral do mundo a penar." Lembrei-me da escrita de Rosa, o Guimarães Rosa, que em um de seus contos usa termos assim....Abraços

[ rod ] ® disse...

Os ideais são chatos por natureza... o real se faz de vivências... mórbidas vivências.

Abs meu caro,






Novo dogMa:
acaBou II...


dogMas...
dos atos, fatos e mitos...

http://do-gmas.blogspot.com/