sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Última Reflexão

Mais um passo, sempre mais fraco
Num quarto escuro, manchado pelos meus sonhos
que nunca irão dizer de onde vem o som

Mais um beijo, mais um veneno
mais um fermento pra minha loucura

O Kafka nunca me disse que eu não posso me transformar

dá-me uma xícara de chá
dá-me tua mão, quem sabe eu possa alcançar
traga-me um remédio, que cure todo o mal
traga-me a solução, uma reação para eu buscar

Agora não tem jeito, apagaram toda luz
só vejo desespero e eu me tornando só mais um
desligaram o aparelho para eu não respirar
tiraram todas as portas que eu sonhava derrubar
sedaram o meu corpo, minha mente entorpeceu
colocaram-me na cama, me encaminharam a Deus
pedi mais uma chance pra poder te enxergar
negaram-me a visão, ofereceram-me um lugar
Nos meus sonhos vi o dia em que eu brincava no "noir"
amanhacer de mais uma chance que já vi desperdiçar
cantarolei o que podia em minha última canção

Lira louca, vôo em notas, minha última reflexão...

2 comentários:

Julio Melo disse...

orra cara, muito massa isso ae em,,,

parabns, boas festas

Leo Bulhões disse...

O que tu quis dizer com: "É fato. Individualismo de massa?".

Entendi nada... ????