quarta-feira, 28 de maio de 2008

O que não volta mais

Me tira o ranço e o gosto amargo que ficou
me diz que era mentira o que passou
mais um dia para tentar desvendar
por que passamos tanto tempo fora do ar

palavras soltas que não vão me convencer
que o jogo é esse e que é preciso vencer
por que não posso mais te dar minhas mãos?
as folhas caem pra que eu fite o chão

o que não volta mais é o que não se pode fazer

e esse longo caminho em que eu boto meus pés
esse imenso desafio que é seguir e ter fé
alguém me diz o que é melhor para nós
ou a estação em que eu possa ouvir a tua voz

o que não volta mais é o que não se pode fazer

3 comentários:

Duda disse...

Muito bom o poema.
Favoritei teu blog lá. :)

Letícia Sammet disse...

Poema lindo, muito lindo *-*

sério, li ele umas sete vezees!

Nossa, parabéns.

:***

História Sobre o Tempo disse...

Grande Nilson...saudades de vc...Saudações Rubro-negras!!!