sábado, 27 de agosto de 2016

As Olimpíadas e o fim do respeito às regras do jogo




Amanhã fará uma semana que as Olimpíadas do Rio de Janeiro foram encerradas e, junto com ela, foi-se um grande aprendizado que só o esporte pode dar.

Afinal de contas, ultimamente, aqui no Brasil, só através do esporte podemos conviver com as diferenças e com as regras do jogo e da democracia como vivemos nas Olimpíadas. Poderíamos dizer que os jogos são uma grande lição para os senadores brasileiros que essa semana julgam a honrada, honesta e ilibada presidenta Dilma Rousseff.

Os esportes não deixaram a grande imprensa mentir - embora tenham tentado - como mentem na narrativa sobre o golpe que está sendo dado no Brasil. Os atletas, dos mais variados esportes, usaram os microfones para agradecer a oportunidade que os governos Lula e Dilma deu a eles de aumentarem seus rendimentos e ter a oportunidade de competir. O COB, mesmo sem citar Lula e Dilma, pediu para que o modelo de financiamento do esporte no Brasil fosse mantido e, mesmo assim, nenhuma palavra da grande mídia sobre as conquistas realizadas pelos governos Lula e Dilma sobre os esportes.

Alguns atletas foram mais longe. Denunciaram a onda reacionária no Brasil e seus representantes como Bolsonaro e Feliciano. E mesmo assim, silêncio total da grande imprensa, que preparava ansiosamente seu show de horrores que começou no último dia 25.

As Olimpíadas, mais do que uma lição aos políticos e aos brasileiros em geral, bem que podia ensinar alguma coisa a nossa imprensa, algo sobre honestidade e defesa de bons princípios, sobre convivência democrática e respeito às diferenças. Algo que passou longe nesses últimos treze anos para a imprensa brasileira, partidária e cheia de ódio. 

As Olimpíadas poderiam ter ensinado, através dos exemplos mais variados, que ao se perder uma competição, outra virá quatro anos depois, e então pode-se preparar e voltar com novas técnicas, mais bem preparado, para ganhar o jogo.

Nossa elite não aprendeu isso nunca. Abreviaram o "ciclo olímpico" e no tapetão tentam levar a medalha de ouro que o povo brasileiro há quatro eleições não lhe concedeu. E dessa forma, com um judiciário e demais instituições "dopadas", levam-nos a medalha mais suada de nossa história: a democracia.

E do mesmo jeito que tentaram esconder as causas do melhor desempenho do Brasil na história das Olimpíadas, tentam esconder - muito mal - o que o mundo todo já sabe: que esse processo de impeachment se trata de um golpe.

E desse jeito vamos vivendo e resistindo, com alguns espasmos de convivência democrática e respeito às regras do jogo como vivemos nas Olimpíadas, uma grande lição para senadores e imprensa brasileira, que desconhecem esses princípios.

Mas, tais como as Rafaelas, Isaquias, Thiagos e os Robsons, os brasileiros resistirão e voltarão ainda mais preparados para, novamente, fazer o povo sorrir. Resistiremos.

Um comentário:

Antonio Diego disse...

👏🏻👏🏾👏🏼👏🏽👏👏🏿